• Tamanho da letra:
  • -A
  • +A

Início » Opinião

29.08.2017 | 19:25

 Compartilhe:

E não se fala em Deus

"O que te impede de falar?"

Francisco Nery Júnior

E não se fala em Deus

imagem ilustrativa
Não há nada que supere o amor de DEUS

Não há nada que supere o amor de DEUS

 Desculpem-me os leitores se é pecado, se é o politicamente incorreto, mas este artigo já está contaminado. Desculpem-me, mais uma vez, os que não acreditam em Deus. Muitos não acreditam. Alguns cultuam demônios (em Aracaju, li uma vez, existe a Igreja de Satanás). Rachel de Queiroz lamentou não crer. De minha parte, quero crer. Não é que queira, mérito meu. É que não consigo deixar de ver a potência, a clareza, a eficiência e o pragmatismo das coisas de Deus neste mundo.

Estou contaminado para efeito de fé. Acabo de colher um pequeno melão que insistiu em nascer no canto da escada que desce para o meu quintal, contra tudo e contra todos. Nasceu do nada! Nasceu de Deus. Surgiu de uma programação incomensuravelmente perfeita estabelecida pelo Criador. Será o melão mais delicioso que haverei de comer. Leitor, estou muito bem ciente da Lei de Lavoisier. "Nada", no nosso contexto, tem a ver com a mão potente de um grande e superior ser.

imagem ilustrativa
O que te impede de falar?

O que te impede de falar?

O presidente Michel Temer está de malas prontas prontas para a China. Vai com sua entourage, ávidos eles dos dólares entrantes da China nominalmente comunista que cresce de dar gosto pelos princípios da eficiente aplicação do capital racional que socializa. Temer na China, Rodrigo Maia no Palácio do Planalto e Fufuca na presidência da Câmara. Quem sabe Fufuca não surpreende? Estamos carentes de alguém para quem apelar, alguém em quem creiamos. Quem sabe o Fufuca da Câmara, jovem deputado do Maranhão? Do Maranhão, como de Nazaré, pode sair alguma coisa boa. Eles não falam em Deus. Fufuca pode falar.

O Ministro da Fazenda, o senhor Meireles, nos falou otimista. Varejo crescendo, taxas caindo, marcha a ré estancada, o ministro está otimista. Sem citar a Deus! Até nos deu a confortante notícia que as reservas internacionais do Brasil estão preservadas. Leitor, leitor, temos quase meio trilhão de reais de reservas no papo! Ufa, ainda bem que isto, pelo menos isto, não conseguiram destruir. Com as reformas, as chamadas reformas, os técnicos do governo preveem um crescimento do PIB de mais de 4% nos próximos dois anos. Começamos a nos sentir aliviados... embora eles não falem em Deus!

Disse que começamos a sentir um pequeno alívio. Devo confessar que reconhecemos traços de competência na equipe econômica de Temer e no círculo mais interior do presidente, lamentando, como brasileiro que luta em não desanimar, o cheiro de podridão exposto pela operação Lava-Jato.
Gostaríamos de ter um governante em quem confiássemos. Alguém, que como a Moisés, Deus dissesse: "O que você está esperando? Marche! Desconsidere o deserto ao lado. Ignore o exército do poderoso faraó atrás. O Mar Vermelho está à frente. Marche!" (E o mar se abriu.) Ou alguém como os sacerdotes que entraram primeiro nas águas do Jordão para que elas se apartassem para o povo passar. Ou um Wiston Churchill, pinçado do ostracismo, em quem o povo inglês depositou toda a esperança de sobrevivência. ( Vamos evitar citar a confiança para a destruição do povo alemão em Hitler.)

Tudo para negociar com o leitor a esperança de, em o Governo Temer conseguindo sobreviver até o final de 2018, termos um Brasil mais arrumado que cuide um pouco melhor dos seus cidadãos. A esperança é que, a despeito do que não pudemos mudar, possa haver avanço. Mais ou menos como diziam os romanos: Mutatis mutandis, mantemos a esperança. Ou seja, mudando o que deve ser mudado, mantemos a esperança. Afinal de contas, acabando a esperança, acaba a vida.
Francisco Nery Júnior

Enviar por e-mail

Insira até cinco e-mails, separados por vírgula





Deixe um comentário






O comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.