• Tamanho da letra:
  • -A
  • +A

Início » Cultura & Arte

14.10.2018 | 13:17

 Compartilhe:

Flica 2018 é encerrada com debate sobre protagonismo da mulher negra na literatura

A Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica), encerrou na manhã de domingo, 14/10.

Secom/Governo da Bahia - Fotos: Elói Corrêa/GOVBA - www.comunicacao.ba.gov.br -

Flica 2018 é encerrada com debate sobre protagonismo da mulher negra na literatura

Foto: Elói Corrêa
Flica (Cachoeira-BA)

Flica (Cachoeira-BA)

 A Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica) chegou ao último dia, na manhã deste domingo (14), com a mesa 'Diálogos Insubmissos de Mulheres Negras'. A discussão é parte do projeto da professora e doutoranda em Literatura e Cultura Dayse Sacramento, que se debruça sobre o livro 'Insubmissas Lágrimas de Mulheres', escrito por Conceição Evaristo, grande homenageada da 8ª edição da Flica.

Foto: Elói Corrêa
Flica (Cachoeira-BA)

Flica (Cachoeira-BA)

Com a participação de um grupo de mulheres negras, o projeto orientado por Dayse analisa os 13 relatos que compõem a publicação de Evaristo. Na abertura da mesa, a pesquisadora ressaltou a pouca representação das mulheres negras na sociedade.

Foto: Elói Corrêa
Flica (Cachoeira-BA)

Flica (Cachoeira-BA)

 “Nós, mulheres negras, somos 27,5% da população deste país e não estamos representadas. Muitas vezes, temos as nossas representações negligenciadas nos espaços de poder. Temos como exemplo o boicote à eleição de Conceição Evaristo para a Academia Brasileira de Letras [ABL], uma instituição que, historicamente, nunca contou com a nossa presença, o nosso corpo, o nosso cabelo e o nosso texto dentro da ABL”, desabafou Sacramento.

Foto: Elói Corrêa
Flica (Cachoeira-BA)

Flica (Cachoeira-BA)

Desde a última quinta-feira (11), a festa literária, patrocinada pelo Governo do Estado, promoveu mais de 20 horas de debates no claustro do Conjunto do Carmo. Mais de 22 atrações divertiram as crianças no Espaço Fliquinha. Na Casa do Governo/ Fundação Hansen Bahia, secretarias estaduais realizaram os diversos tipos de atividade, a exemplo de saraus, oficinas e bate-papos.

Foto: Elói Corrêa

 De acordo com o coordenador-geral da Flica e um dos idealizadores do evento, Emmanuel Mirdad, a 8ª edição é marcada pela consolidação definitiva da Flica. “A cidade está completamente tomada de gente participando da Flica. Agora vamos nos debruçar sobre os preparativos para a próxima edição, a exemplo da necessidade de ampliação do espaço. Tem muita gente na Bahia e fora que deseja vir para cá, já que a Flica agora reverbera como a segunda maior festa literária do país”, avaliou.

Questionado sobre a repercussão positiva de promover a discussão da representatividade da escrita de mulheres negras, Mirdad garantiu que a Flica sempre esteve atenta a públicos que não são contemplados nos meios tradicionais.

“A gente sempre trouxe os grandes autores nacionais, mas também os escritores independentes e editoras pequenas. Ao homenagear Conceição Evaristo, percebemos que era o momento de dar uma evidência maior às mulheres negras”, concluiu o coordenador.

Fotos: Elói Corrêa/GOVBA
Secom/Governo da Bahia
www.comunicacao.ba.gov.br

Enviar por e-mail

Insira até cinco e-mails, separados por vírgula





Deixe um comentário






O comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.