• Tamanho da letra:
  • -A
  • +A

Início » Local

10.03.2017 | 14:19

 Compartilhe:

Cobrança da taxa de esgoto pela Embasa volta à discussão na Câmara de Paulo Afonso

Advogado Luiz Neto vai à Câmara sobre o assunto

Antonio Galdino, com Luiz Brito DRT 3.913 - luizbritoradialista@gmail.com

divulgação
Advogado Luiz Neto

Advogado Luiz Neto

 A Empresa Baiana de Águas e Saneamento S.A., órgão ligado ao governo da Bahia, é a responsável em Paulo Afonso pelo fornecimento de água e coleta de esgotos na cidade, cuja população tem crescido a cada ano e já chega aos 120 mil habitantes, cerca de 9% deles moradores da zona rural do município.

Ainda no primeiro mandato da presidente Dilma, Paulo Afonso foi incluído entre os municípios baianos merecedores de grande obra de saneamento básico, dentro dos recursos federais e durante muitos anos a obra foi se arrastando e consumindo muitos milhões de reais, fala-se em mais de cem milhões. O objetivo, além do próprio saneamento básico, era reduzir o impacto de tão alta carga de esgotos in natura sendo jogados diariamente, diretamente no leito do rio São Francisco.

A obra foi se atrasando a cada ano porque, só então, as empresas vencedores descobriram que o terreno onde estão os arruamentos da cidade ilha, por exemplo, é rochoso, o que demanda mais tempo, mais investimento, inclusive o uso de explosivos, detonando o asfalto das ruas e rachando as paredes de muitas casas.
A própria prefeitura acionou a Embasa várias vezes por esses danos.

Uma fonte revelou ao jornal Folha Sertaneja que “para concluir todo o serviço de saneamento de Paulo Afonso, serão necessários pelo menos mais 200 milhões de reais”...

Por conta do serviço feito, ou um pedaço dele, a Embasa decidiu cobrar a taxa de esgoto que é de 80% do valor da taxa de água. E essa cobrança vem sendo feita há anos.

Este ano o assunto chegou à Câmara de Vereadores que tomou a si as dores da população e começa a questionar esta cobrança. Um movimento popular, embora ainda de pequenas proporções, chegou a ser feito, com pessoas protestando em frente das instalações da Embasa.

Agora, o tema volta ao plenário da Câmara que, na reunião da segunda-feira, dia 20 de Março, estará recebendo o Advogado Luiz Neto que, a convite da vereadora Leda Chaves, presidente do PDT e segunda secretária da Câmara e aliada do prefeito Luiz de Deus, fará esclarecimentos sobre esta cobrança que, como já antecipou o advogado a sites da cidade e em entrevista ao programa Diário da Manhã da rádio Betel FM 104,9, na quinta-feira (9): “para o rico isso é uma ninharia”, mas para a grande maioria, a classe média, a classe pobre, o assalariado é muito dinheiro, enfatizou o advogado. “Eu diria a você que isso é um assalto”.
Como diz o radialista Luiz Brito em seu site PA24HORAS, “o assunto ainda vai dar muitas pautas para a imprensa”.

Enviar por e-mail

Insira até cinco e-mails, separados por vírgula





Deixe um comentário






O comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.