• Tamanho da letra:
  • -A
  • +A

Início » Local

22.11.2017 | 13:57

 Compartilhe:

Morre Mama Vitória, aos 84 anos

Ela ganhou 369 troféus em 28 anos de Festejos Juninos

Antônio Galdino

Morre Mama Vitória, aos 84 anos
Ela ganhou 369 troféus em 28 anos de Festejos Juninos

Álbum da família
Mama Vitória

Mama Vitória

 Na noite desta terça-feira, 21 de Novembro, morreu, aos 84 anos, Mama Vitória, uma das maiores personalidades da cultura de Paulo Afonso a rainha das quadrilhas e festas juninas de Paulo Afonso
O seu corpo foi velado no SAF, localizado na Avenida Apolônio Sales, e o sepultamento foi da manhã de 22 de Novembro (Dia da Músico e dos músicos), no cemitério Padre Lourenço Tori, no Bairro Centenário.

Breve história de Mama Vitória

Vitória Maria dos Santos, alagoana de Delmiro Gouveia, nascida em 02 de junho de 1933, começou a trabalhar ainda mocinha, vendia macambira para comprar suas roupas de São João.

Muito vaidosa, era cantora das serestas, com voz incomparável. Aos 16 anos fugiu pra casar, mas o casamento durou apenas alguns meses, quando decidiu ir para São Paulo, grávida de seis meses, em cima de um caminhão "pau de arara", (1950). Levou 11 dias pra chegar ao destino.

Álbum da família
Mama Vitória

Mama Vitória

 Com a gravidez, não teve muito sucesso em São Paulo, e retornou ao Sertão para cuidar do parto. Em 25 de junho, nasceu sua filha Maria das Graças e logo após o resguardo ela voltou a São Paulo e começou a trabalhar e ali conheceu o grande amor de sua vida, Durval Marques dos Santos, que foi empregado da CHESF, da linha quente e foi assassinado em 1979, por um companheiro de trabalho em Curaçá - BA, trabalhando a serviço da CHESF.

Vitória Maria ficou com 3 filhos e a idade de 37 anos, deprimida. Aprendeu a fazer crochê e mesmo assim parecia faltar alguma coisa.
Lembra Raquel, a filha de Vitória Maria ou Mama Vitória: “Em 1980 foi criada em Paulo Afonso a primeira quadrilha junina, criada pela filha Raquel e por Nenen (que hoje é Nenen Veículos), só pra animar a rua. Era a Quadrilha do Nenen, e participamos da primeira competição realizada pela Prefeitura, no Governo de Abel Barbosa. As roupas foram presente de João de Brito e o mais emocionante, ganhamos um troféu de honra ao mérito, (ficamos em 4o. lugar) entregue por Antônio Galdino, que era o Diretor do Departamento de Turismo que cuidava do São João. O palco era em frente a Casa Edson São Jóias” (Av. Getúlio Vargas).

Álbum da família
Mama Vitória

Mama Vitória

Arq. Folha Sertaneja
Vila do Forró Mama Vitória, na Av. Apolônio Sales

Vila do Forró Mama Vitória, na Av. Apolônio Sales

 Raquel também lembra da luta e do esforço de Mama Vitória para manter essa tradição. “Daí em diante, minha mãe assumiu e nunca mais parou de fazer quadrilha junina, durante 28 anos. Figurino próprio, recursos próprios, começava no inicio de março a ensaiar e vender coisas, milho verde, pamonha, canjica, bolo de milho, pra custear os trajes e vestes (muito tempo depois a Prefeitura começou a patrocinar algumas coisas) e lá vai Mama Vitória, aberturas de festejos juninos na Vila Militar, CPA, cidades circunvizinhas, Xingó, Canindé de São Francisco, Água Branca... Ao todo foram 369 troféus conquistados, placas e medalhas”.
“Quando Mama Vitória foi morar na Vila Moxotó todos achavam que ela ia desistir das festas juninas ela continuou e nos dois anos que lá morou teve quadrilha sim”, diz Raquel.

Nos últimos dois anos (2016 e 2017),Vitória Maria dos Santos, a Mama Vitória, foi homenageada pela prefeitura, que batizou os festejos juninos da cidade de “Vila do Forró Mama Vitória”.

Foto: Antonio Galdino
Vila do Forró Mama Vitória, na Av. Apolônio Sales

Vila do Forró Mama Vitória, na Av. Apolônio Sales

 Ela trabalhou no SEMPA, com menores, e quando o SEMPA fechou a grande maioria dos menores foi parar em sua casa, e ela, com sua garra acolheu e abrigou sempre quem necessitava, cuidou de morador de rua, acompanhou em hemodiálise, sepultou.
Nunca ninguém saiu da sua casa com fome. Arrumou várias cirurgias de ligadura para as mulheres e até se candidatou a Vereadora e sem recursos até que fez muitos votos.

Foi homenageada em Caçadores de Talento e em outras várias ocasiões. Achando que estava pouco acompanhou o Futsal de Paulo Afonso, onde recebeu o titulo de Rainha do Futsal.

Mesmo depois de 28 anos de Festejos Juninos, continuou a ser convidada para diversos eventos. Foi homenageada pelo Colégio Sete de Setembro e “ela sempre se orgulhava em dizer que era "famosa", diz Raquel. E ela sempre dizia: "São João é a minha vida"

Álbum da família
Mama Vitória

Mama Vitória

Com a violência e algumas perdas de seus gritadores (animadores) de quadrilhas juninas foi desanimando e começou substituir os festejos juninos por romarias. Todos os anos ia 2 vezes para o Juazeiro, com ônibus grátis, patrocinado pela Prefeitura que sempre a apoiaram.

Álbum da família
Mama Vitória

Mama Vitória

 Em 2010, já estava com leve sinal de alzhaimer, mesmo assim foi para o Juazeiro, fazia romaria para Santa Terezinha (Mata Grande), Nossa Senhora das Freixeiras. Mama Vitória era incansável.

Se tornou cidadã Pauloafonsina, foi homenageada pela Câmara no Dia Internacional da Mulher, foi homenageada em um calendário Chesf chamado de “Mulheres Caraibeiras”.

Nos últimos anos, Mama Vitória tem passado por hospitais, cuidados médicos no Recife, em Aracaju e em dezembro de 2013 sofreu um AVC ficando um mês na UTI e outros quatro meses internada em hospital da capital sergipana.

Lutando pela vida conseguiu o que mais queria, voltar para sua casa e Deus lhe concedeu essa bênção. Em sua casa, em Paulo Afonso, perdeu a voz, vive no oxigênio numa semi UTI, acompanhada pelos médicos, enfermeiros e técnicos que a chamam de VIVI.
Mama Vitória completou no dia 02 de Junho de 2017, 84 anos de vida intensa e de trabalhos prestados a Paulo Afonso. Muito justa esta homenagem a quem dizia sempre "São João é a minha vida".

Enviar por e-mail

Insira até cinco e-mails, separados por vírgula





Deixe um comentário






O comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.