• Tamanho da letra:
  • -A
  • +A

Início » Opinião

07.12.2017 | 20:29

 Compartilhe:

Um passeio pelos caminhos do "Velho Chico” em Paulo Afonso-BA

Os lagos, as usinas, o cânion, a cachoeira...

Antônio Galdino com a participação de Francisco Nery Jr

Caminhos do "Velho Chico” em Paulo Afonso-BA

Foto: Antonio Galdino
Início do cânion do rio São Francisco em Paulo Afonso - BA

Início do cânion do rio São Francisco em Paulo Afonso - BA

 HOJE, 07/12/2017, ESTIVE mais uma vez fazendo o caminho dos turistas pelos mirantes da área do complexo hidrelétrico de Paulo Afonso, cujas usinas juntas tem a capacidade de produzir mais de 80 por cento de toda a energia hidroelétrica da Chesf ou mais de 8 milhões de quilowatts dos pouco mais de 10 mil gerados pela Chesf nesta fonte.

Foto: Antonio Galdino
Lago Delmiro Gouveia que alimenta as usinas PA I, II e III

Lago Delmiro Gouveia que alimenta as usinas PA I, II e III

Vi os lagos adormecidos e o rio se estirando preguiçoso no início do cânion, as usinas quase todas paradas e a Cachoeira de Paulo Afonso, de tanta pujança, reduzida a um insignificante filete de água sobre os paredões de granito.
Por ali, já despencaram mais de 15 mil metros cúbicos de água por segundo. Hoje só chegam nas usinas, 550 metros cúbicos de água.

Foto: Antonio Galdino
Mirante do Belvedere. Ao fundo as comportas dos braços Pincipal, e do Quebra no Lago Delmiro Gouveia

Mirante do Belvedere. Ao fundo as comportas dos braços Pincipal, e do Quebra no Lago Delmiro Gouveia

Refletia sobre o fechamento do rio, olhando para as comportas do braço Principal, do Quebra e do Taquari e para as águas quietas do Lago Delmiro Gouveia, um contraste com o que dizia o mestre Lula Tenório, em sua canção Rio São Francico onde cantava: "Desce o rio, ligeiro, elétrico..." quando recebi uma pequena reflexão do amigo Francisco Nery, igualmente preocupado com o nosso rio São Francisco.

Arq. Folha Sertaneja
Prof. Galdino na Cachoeira de Paulo Afonso, em Março de 2006

Prof. Galdino na Cachoeira de Paulo Afonso, em Março de 2006

Juntei a minha reflexão com a dele e resolvi compartilhar com todos. Quem sabe o pensamento de muitos pode ajudar a mudar as cabeças que decidem nesse país e apareça dinheiro, como aparecem para outras coisas, para o projeto total de revitalização do rio São Francisco.

Enquanto os políticos, que estão mesmo, em sua grande maioria é preocupados com as eleições de 2018, olham para outras direções, vamos nos dar as mãos e fazer a nossa parte, como pequenos beija-flores que carregam algumas gotas de água para ajudar a apagar o incêndio da floresta...

Foto: Antonio Galdino
A Cachoeira de Paulo Afonso, que já foi assim...

A Cachoeira de Paulo Afonso, que já foi assim...

 Em Paulo Afonso, embora a cachoeira esteja seca e as usinas quase sem funcionar, ainda há muitas águas, no lago de Moxotó, no Lago Delmiro Gouveia, no cânion que rasga a terra por 65 quilômetros até Usina de Xingó.

Foto: Antonio Galdino
...agora está assim -em 07 dez 2017 - Até quando???

...agora está assim -em 07 dez 2017 - Até quando???

A grande questão é: ATÉ QUANDO??? E lembrei de um personagem da TV que repetia o bordão: "Meninos, eu vi..."

ABRIMOS ESPAÇO NESTA PÁGINA para apresentar a nota abaixo, de autoria do Professor Francisco Nery Júnior, cronista, membro da ALPA e intransigente defensor do rio São Francisco, a respeito da preocupação com o nosso Velho Chico, provedor da vida ao longo de toda a sua caminhada, dos chapadões de Minas Gerais ao Oceano Atlântico. Fala, Nery (Prof. Galdino)

PARA SALVAR O SÃO FRANCISCO

Foto: Antonio Galdino
Início do cânion do rio São Francisco em Paulo Afonso - BA

Início do cânion do rio São Francisco em Paulo Afonso - BA

 A mídia nos dá conta que “Bispos da Bacia do São Francisco divulgam a ‘Carta da Lapa’”.
Está escrito:

“À luz do Evangelho, em comunhão com o Papa Francisco e inspirados pela carta encíclica “Laudato Sí”, nós, bispos da bacia do Rio São Francisco, representando onze das dezesseis dioceses, diante do processo de morte em que este Rio se encontra e das consequências que isto representa para a população que dele depende, assumimos de forma colegiada a defesa do Velho Chico, de seus afluentes e do povo que habita sua bacia.”

Foto: acervo Memorial Chesf Paulo Afonso
Início da construção da ponte D. Pedro II no ânion do rio São Francisco entre os Estados da Bahia e Alagoas

Início da construção da ponte D. Pedro II no ânion do rio São Francisco entre os Estados da Bahia e Alagoas

Comentamos a propósito:

Então, todos começam a perceber que a “morte” do São Francisco significa a nossa morte. Os municípios da Bacia do São Francisco “morrerão” se o rio morrer. O São Francisco é a nossa galinha dos ovos de ouro. Galinha morta, adeus ovos de ouro; adeus à pujança de Paulo Afonso.

Que os bispos determinem aos párocos – a Igreja Católica é uma das poucas instituições em que o povo confia – martelarem em todas as missas a importância de se plantarem árvores ao longo do rio e de se preservarem as nascentes. Vamos lá, bispos, confiamos no compromisso de vocês. Por favor, queiram se entrosar com o senador Otto Alencar que se fez defensor do “Velho Chico” no Senado [Federal]. Deus os abençoe.

E você, leitor, plante uma árvore. Pregue a despoluição do rio... antes que os bispos mandem (aí jaz toda a honra); antes que a maldição recaia sobre a sua cabeça. (Francisco Nery Júnior)

Enviar por e-mail

Insira até cinco e-mails, separados por vírgula





Deixe um comentário






O comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.