• Tamanho da letra:
  • -A
  • +A

Início » Local

09.02.2018 | 19:18

 Compartilhe:

Lázaro Galvão é o novo Administrador da Chesf em Paulo Afonso

O novo Administrador da Chesf assumiu dia 1º de Fevereiro

Antônio Galdino

Lázaro Galvão é o novo Administrador da Chesf em Paulo Afonso e quer a reaproximação da empresa com a região

foto: Dalmo
Lázaro Galvão, o novo Administrador da Chesf em Paulo Afonso em reunião com A ALPA e o IGH

Lázaro Galvão, o novo Administrador da Chesf em Paulo Afonso em reunião com A ALPA e o IGH

 A Chesf completa em Março de 2018, 70 anos de início de suas atividades em Paulo Afonso, com a construção da Barragem Delmiro Gouveia, do Acampamento da Chesf com cerca de 2 mil edificações e a primeira Usina Hidrelétrica de grande porte do Nordeste.

Em Paulo Afonso, há dezenas de anos, funcionam dois grandes departamentos da empresa hidrelétrica: um, que por muitos anos se chamou GRP e hoje se chama DORP, sempre cuidou da gerência das usinas hidrelétricas, subestações da empresa e linhas de transmissão, atuando num raio de cerca de 100 quilômetros, uma vez que as usinas hidrelétricas da Chesf na região, estão instaladas em municípios dos estados da Bahia, Alagoas, Sergipe e Pernambuco.

Foto: Antonio Galdino
Lazaro Galvão, o novo Administrador da Chesf em Paulo Afonso

Lazaro Galvão, o novo Administrador da Chesf em Paulo Afonso

 

O outro departamento da Chesf foi conhecido nos primeiros anos como AG/PA, depois APA e agora DGRP, que tem por função cuidar de toda a parte administrativa da Chesf nas áreas de Recursos Humanos e Gestão de Pessoal, Hospital, Serviços Gerais, incluído a manutenção de prédios e o serviços de vigilância, Jurídico, Econômico-Financeiro e Comercial e já cuidou também, por cinquenta anos de uma complexa rede escolar com cerca de 10 unidades de ensino, da alfabetização a vários cursos do ensino médio, atividade que a Chesf deixou de patrocinar a partir do ano 2000.

Foto: Antonio Galdino
Lazaro Galvão, o novo Administrador da Chesf em Paulo Afonso

Lazaro Galvão, o novo Administrador da Chesf em Paulo Afonso

 No dia 31 de Janeiro , o Administrador Regional da Chesf em Paulo Afonso, Klewton Ferraz foi exonerado e substituído pelo também chefiano Lázaro Luiz de Carvalho Galvão, chesfiano de carreira que iniciou suas atividades na empresa no ano de 1984, trabalhando nas atividades relacionadas à administração do Acampamento da Chesf em Itaparica e na construção da Barragem de Itaparica e Usina Luiz Gonzaga, em Pernambuco.

No ano de 1989, Lázaro foi transferido para apoiar os trabalhos de construção da Barragem e Usina Hidrelétrica de Xingó, assim como outros quase duzentos chesfianos, e ali permaneceu, na área administrativa, até o ano de 2002 quando, ainda em Xingó, passou a trabalhar na área técnica da nova Usina Hidrelétrica, onde permaneceu até o ano de 2010.

Foto: Antonio Galdino
Torre da Chesf, chamada de

Torre da Chesf, chamada de "Mãe Velha", no Memorial Chesf

Em 2010, Lázaro Galvão voltou a coordenar a área administrativa da Chesf em Xingó onde estava quando foi indicada pelo atual Diretor Administrativo da Chesf, Joel de Jesus, para assumir a gestão da Administração Regional da Chesf em Paulo Afonso, cuja atuação é também regional.
Focado na reaproximação da Chesf com as comunidades regionais de vários municípios dos Estados da Bahia, Alagoas, Sergipe e Pernambuco, Lázaro já assumiu mantendo reuniões com instituições e com prefeitos e gestores municipais.

Em um encontro promovido pelo Comandante da 1ª Cia. de Infantaria de Paulo Afonso, Major Kauê, Lázaro já manteve contato com o Prefeito Luiz Barbosa de Deus com quem deve manter outros encontros e conversas nos próximos dias. Também já esteve com o Dr. João Paulo Piropo, juiz federal de Paulo Afonso.

foto: Dalmo
Lázaro Galvão em reunião com ALPA e IGH

Lázaro Galvão em reunião com ALPA e IGH

 Na tarde do dia 07 de Fevereiro, Lázaro Galvão manteve proveitosa reunião com diretores e membros da Academia de Letras de Paulo Afonso – ALPA - e do Instituto Histórico e Geográfico – IGH - quando apresentou uma proposta da Chesf para extensa programação comemorativa dos 70 anos da empresa e para a qual pediu a participação de escritores e estudiosos da região. O chesfiano Flávio Motta, um pesquisador da região que já gerenciou a Usina Hidrelétrica de Xingó e a GRP em Paulo Afonso participou da reunião.

A programação que será iniciada no dia 15 de Março se estenderá no dia 16 com a presença do presidente e diretores da Chesf e continuará ao longo dos meses com extensa e diversificada programação esportiva e cultural.

Foto: Antonio Galdino
Lazaro Galvão, o novo Administrador da Chesf em Paulo Afonso

Lazaro Galvão, o novo Administrador da Chesf em Paulo Afonso

divulgação
Chesf 70 anos

Chesf 70 anos

 “A programação comemorativa dos 70 anos da Chesf, ainda em fase de organização sob a coordenação de Flávio Motta e com a participação de grande equipe de funcionários da DGRP (antiga APA) e do DORP (antiga GRP) será bem intensa, realizada em muitos momentos a partir de Março e durante alguns meses e envolverá músicos e cantores da Chesf e da comunidade, teatro, palestras, visitação à empresa para estudantes, além da premiação aos funcionários chesfianos mais antigos com a entrega de medalhas da Chesf, sempre com a participação do Coral Chesf de Paulo Afonso, regido por Sandro Rogério e esperamos contar com a colaboração de todos os senhores, da Prefeitura, das Escolas para fazermos uma grande festa nesta data tão especial para toda a região”, disse Lázaro Galvão.

No dia 15 de Março estará sendo resgatado um dos símbolos, uma marca da cultura de Paulo Afonso, de sua história, que é o retorno da cirene que está sendo restaurada pela Prefeitura e será novamente instalada no alto da caixa d`água da Praça das Mangueiras e marcava, com o seu toque o início e fim dos trabalhos para os operários da Chesf nos primeiros tempos da construção da primeira e outras usinas da Hidrelétrica.

Entre os presentes estavam muitos ex-empregados da Chesf como o professor Antônio Galdino da Silva, presidente da ALPA, professor Severino Gilson Peixoto, presidente do IGH, Roberto Ricardo, ex-professor do COLEPA, membro fundador do IGH, ou filhos de ex-empregados chesfianos, como João de Sousa Lima, historiador, coordenador da Casa da Cultura de Paulo Afonso, órgão ligado ao Departamento de Cultura e à Secretaria de Cultura e Esportes da Prefeitura de Paulo Afonso e vice-presidente da ALPA, Marta Tavares, geógrafa, vice-presidente do IGH, Eduardo Cruz e Fabiane, técnicos da Casa da Cultura e o poeta Fernando Mota que trabalhou na construção da Barragem Móvel de Moxotó.

(Veja matéria da ASCOM da Prefeitura de Paulo Afonso sobre a sirene)

Enviar por e-mail

Insira até cinco e-mails, separados por vírgula





Deixe um comentário






O comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.