• Tamanho da letra:
  • -A
  • +A

Início » Mundo

05.10.2018 | 12:56

 Compartilhe:

Hilson Costa, expõe aquarelas na Fundação Maurício Ravel, em Paris

Hilson tem painéis no Memorial Chesf e Usinas PA-4 e Xingó

Antônio Galdino

Divulgação
Hilson Costa sendo certificado na Fundação Maurício Ravel, em Paris

Hilson Costa sendo certificado na Fundação Maurício Ravel, em Paris

 Hilson Costa, expõe aquarelas na Fundação Maurício Ravel, em Paris

Divulgação
Obras de Hilson em Paris Outubro 2018

Obras de Hilson em Paris Outubro 2018

 O pauloafonsino Hilson Cordeiro Costa, chesfiano que hoje trabalha em Aracaju, filho do pioneiro chesfiano Severino Cordeiro e de D. Hilda, nasceu no Hospital Nair Alves de Sousa, na Chesf, em Paulo Afonso – BA, em 28 dezembro de 1964.

Sempre gostou das tintas e pincéis e fez a sua primeira exposição individual em 1982. Seguiram-se várias participações em exposições coletivas nos anos de 1985, 1988, 1990, 1995 e 1998. Só em 1999 veio sua segunda exposição individual.

No ano de 2014, concluiu o curso de arquitetura e urbanismo com um claro objetivo: “Acredito muito nas transformações das cidades ou seja pretendo unir a concepção de arte com construção... Como arquiteto urbanista tenho um grande sonho de realizar humanização de favela ...a arte de fato pode existir nos espaços urbanos pois tenho fé em Deus que vou conseguir realizar essa grande transformação”.

Divulgação
Hilson Costa e brasileiros em Paris

Hilson Costa e brasileiros em Paris

Hilson Costa realizou no início de Outubro de 2018 o que estava além dos seus sonhos. Ele foi um dos 12 brasileiros escolhidos para expor suas aquarelas que retratam imagens de Paulo Afonso e da região no consagrado evento realizado na galeria da Fundação Mauricio Ravel, em Paris.

O evento foi aberto no dia 02 de Outubro e Hilson apresentou seis pinturas em aquarela que vão permanecer em exposição até o dia 28 de Outubro. Seus trabalhos no catálogo e revista do evento percorrem vários países da Europa e já há contato para que ele apresente essas suas produções em outros países como Alemanha, dentre outros.

 

Divulgação
Hilson apresentando suas obras, no catálogo e parede, às francesas

Hilson apresentando suas obras, no catálogo e parede, às francesas

 Ao jornal Folha Sertaneja Hilson Costa informou que foi convidado porque o seu trabalho, as suas produções, que já foram expostas em vários lugares, “chegou ao conhecimento de Edna Abreu, Jornalista e produtora de arte e responsável por esta exposição, o meu contato na França, para o evento 12 Disciples des Arts, Paris-2018”.

Divulgação
Certificado de participção na exposição 12 Discípulos das Artes

Certificado de participção na exposição 12 Discípulos das Artes

“Agradeço a Deus pela certificação internacional das minhas obras, através de um convite para expor na Fundação Mauricio Ravel. Feliz pelo reconhecimento. Foi uma noite de muita emoção”, diz Hilson Costa.

O pauloafonsino Hilson Costa concluiu há alguns anos o seu Curso de Arquitetura mas desde 1980 vem expondo seus trabalhos em óleo sobre tela ou aquarelas em eventos realizados em Paulo Afonso, Aracaju e agora chega a Paris, na França.

Em Paulo Afonso seus trabalhos já foram expostos no Clube Paulo Afonso, no Espaço Cultural Raso da Catarina e no Memorial Chesf Paulo Afonso, onde estão grandes painéis, alguns deles transformados em aquarelas e levados para a exposição em Paris.

Divulgação
Aquarela A Kombi e Nestor, paisagem do Parque Belvedere - Paulo Afonso-BA

Aquarela A Kombi e Nestor, paisagem do Parque Belvedere - Paulo Afonso-BA

Já foram expostas também no COLEPA, na Escola de Arte Ateneu e na UNIT, em Aracaju, onde fez o curso de Arquitetura e Urbanismo.

Eu tive a felicidade de acompanhar de perto a criação de Hilson Costa, os grandes painéis do Memorial Chesf, tive o privilégio de vê-lo trabalhando nessas obras e fotografá-lo nessa tarefa.

 

 

foto: Antônio Galdino
Hilson e um dos seus painéis, no Memorial Chesf Paulo Afonso

Hilson e um dos seus painéis, no Memorial Chesf Paulo Afonso

 As obras de Hilson Costa, grandes painéis retratando a cultura em Paulo Afonso como o Pastoril, nos seus primeiros tempos, e a construção da primeira usina hidrelétrica, o fechamento do rio, estão expostas no Memorial Chesf e nas Usinas Paulo Afonso IV e Hidrelétrica de Xingó. Uma de suas aquarelas “A Kombi de Nestor” está no escritório do jornal Folha Sertaneja.

foto: Antônio Galdino
Hilson concluindo um dos seus painéis, no Memorial Chesf Paulo Afonso

Hilson concluindo um dos seus painéis, no Memorial Chesf Paulo Afonso

Aos aplausos dos franceses que o receberam tão bem e com tantos elogios juntamos os nossos formulando votos de passos ainda mais largos deste pauloafonsino, ao longo de sua caminhada. (Antônio Galdino)

Enviar por e-mail

Insira até cinco e-mails, separados por vírgula





Deixe um comentário






O comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.


Table has no partition for value 1544616008